ESTÚDIOS BRITÂNICOS II

September 12, 2014

ISLEWORTH

Em 1913, o pioneiro do cinema britânico, G. B. (George Berthold) Samuelson, concebeu a idéia de realizar um filme épico sobre o reino da Rainha Vitória, que ele admirava muito. Samuelson financiou e teve uma participação importante na produção de Sixty Years A Queen, rodado no Ealing Studios de Will Barker. O espetáculo obteve muito sucesso, e ele resolveu adquirir seu próprio estúdio, alugando, com opção de compra, uma grande área – na qual se situava uma mansão de quarenta quartos -, em Worton Hall, Isleworth.

Cena de Sixty Years a Queen

O primeiro filme feito no estúdio, A Study in Scarlet / 1914, baseado na história de Conan Doyle e dirigido por George Pearson, alcançou grande êxito. Animado, Samuelson envolveu Pearson em um novo projeto, A Cinema’s Girl Romance, que não foi avante porque, com o irromper da Primeira Guerra Mundial, eles resolveram realizar dois cine-jornais fictícios, The Great European War Day-By-Day e Incidents Of The Great European War, muito bem recebidos pelo público. Nos dias que se seguiram, Samuelson e Pearson trabalharam ininterruptamente, produzindo filmes que lotavam os cinemas, tendo como Fred Paul. Como ator principal. No final de 1915, Pearson deixou Worton Hall e foi para o Lime Grove Studio da Gaumont em Shepherd’s Bush. Fred Paul assumiu suas funções em Worton Hall, começando por dirigir a série The Adventures of Deadwood Dick /1915, ao todo seis westerns de dois rolos, baseados nas proezas de um inglês, Dick Harry (interpretado por ele mesmo), no Oeste americano, Em 1916, Worton Hall foi ampliado e, daquele ano até 1919, conquistou uma reputação invejável pela realização de adaptações de dois rolos de livros e peças clássicos (vg. The Vicar of Wakefield de Oliver Goldsmith; The Admirable Crichton de J.M. Barrie; Lady Windermere’s Fan de Oscar Wilde, as duas últimas produzidas pela Ideal Film Company de Simon Rowson).

Cena de A Study in Scarlet

Cena de A Study in Scarlet

Em 1922, Samuelson formou uma companhia com o distribuidor Sir William Jury, sob a denominação de British Super Films. O primeiro filme sob a nova marca foi Stable Companions / 1922, estrelado por Lillian Hall-Davis e Clive Brook, seguindo-se, com a mesma atriz, The Game of Life / 1922; The Faithful Heart / 1922; Brown Sugar / 1922; The Hotel Mouse / 1923; The Right To Strike / 1923. Samuelson fez de Lillian Hall-Davis uma estrela imensamente popular. O filme mais controvertido dela, Maisie’s Marriage / 1923, causou um acesso de indignação por parte da British Board of Film Censors, que não admitia que um livro, cujo tema principal era o amor livre, tivesse sido transformado em filme. O livro em questão intitulava-se Married Love, de autoria de uma defensora do controle de natalidade, Dra. Maria C. Stopes, que também escreveu o roteiro para a transposição cinematográfica.

Cartaz de Maisie's Marriage

Cena de Maisie's Marriage

Cena de Maisie’s Marriage

Em 1925, Samuelson empreendeu uma versão para a tela de Ela / She, de Sir Henry Rider Haggard, filmada em um estúdio de Berlin, com um elenco internacional. Dificuldades com sua estrela americana, Betty Blithe, resultaram em uma ação judicial, e os gastos colossais com o processo somados às despesas extras de produção por causa do litígio, causaram-lhe muito prejuízo. Em 1928, Worton Hall foi vendido para a British Screen Productions, que George Pearson havia fundado, e Samuelson continuou a atuar no cinema como diretor.

Betty Blithe em Ela

Betty Blithe em Ela

A British Screen Productions realizou alguns filmes silenciosos de qualidade inferior e, em 1930, entrou em liquidação. Em 1931, Richard Norton (encarregado da realização de “quota quickies” na Inglaterra para a United Artists e que mais tarde teria uma participação importante no Pinewood Studios), chegou a organizar um esquema de produção de seis “quickies” no estúdio e este também foi alugado para outras companhias fazerem, por exemplo, Madame Guillotine – Prod: Reginald Fogwel; Birds of a Feather – Prod: G&L Films; Guilt – Prod: Reginald Fogwell; e Jealousy – Prod: Majestic Films / New Era. Porém, em 1933, Worton Hall foi vendido para J. W. Almond e Edward Gourdeau, donos da Interworld Films.

Isleworth Studios 1930

Isleworth Studios 1930

Em 1934, Worton Hall foi totalmente modernizado com a instalação do sistema de som Western Electric e, no final do ano, Alexander Korda, com o apoio financeiro da Prudential Assurance Company, alugou o estúdio. Douglas Fairbanks e seu filho, Douglas Fairbanks Jnr., celebraram um acordo com Alexander Korda pelo qual Fairbanks Sr. ofereceria a Korda uma participação na United Artists enquanto que seu filho integraria o elenco da produção de Korda, Catarina, a Grande (em reprise, A Rainha Imortal) / The Rise of Catherine The Great / 1934.

Pôster de Noites de Moscou

Pôster de O Homem Que Fazia Milagres

Pôster de BozamboEm 1936, após longas negociações com a família Almond, Douglas Fairbanks, Jnr. e seus colegas Marcel Hellman, Paul Czinner e A. Cunningham- Reid (da diretoria da firma que ele havia fundado no ano anterior, Criterion Film Production), adquiriram Warton Hall. Entre os filmes realizados no todo ou em parte por Korda, Fairbanks, Jnr. e produtores independentes neste estúdio em 1935-1937, destacaram-se: O Fantasma Camarada / The Ghost Goes West (Robert Donat, Jean Parker); Noites de Moscou / Moscow Nights (Harry Baur, Penelope Dudley Ward, Laurence Olivier); O Homem Que fazia Milagres / The Man Who Could Work Miracles (Roland Young, Ralph Richardson); Daquí a Cem Anos / Things to Come (Ralph Richardson); Bozambo / Sanders of the River (Paul Robeson, Leslie Banks, Nina Mae McKinney); Acusada / Accused (Douglas Fairbanks, Jnr. Dolores Del Rio); Crime Over London (Margot Grahame, Paul Cavanagh); Larápio Encantador / Jump for Glory (Douglas Fairbanks, Jnr. Valerie Hobson). Estes três últimos filmes, produzidos pela Criterion, foram um desastre nas bilheterias, e Douglas Fairbanks Jnr. voltou para os Estados Unidos. A produção continuou em Worton Hall até o início da Segunda Guerra Mundial, sobressaindo: Fanfarronadas / The Invader / 1936 (Buster Keaton, Lupita Tovar), um “quota quickie” feito por Sam Spiegel para a MGM) e Under Secret Orders, versão inglêsa de Mademoiselle Docteur / 1937 (Erich von Stroheim, John Loder, Dita Parlo) de G.W. Pabst.

Buster Keaton e Lupita Tovar em Fanfarronadas

Buster Keaton e Lupita Tovar em Fanfarronadas

Pôster de Under Secret Orders

Em 1939, o produtor Maurice Wilson alugou Worton Hall por um período breve, mas pouco depois o estúdio foi requisitado pelo Ministério de Obras Públicas e ficou fechado durante a guerra. Em 1944, a British Lion Film Corporation comprou 50% de Worton Hall. Entre os longas-metragens realizados sob a marca British Lion estavam algumas cenas de Picadilly Incident / 1946 (Anna Neagle, Michael Wilding); The Shop At Sly Corner / 1947 (Oscar Homolka, Muriel Pavlow, Derek Farr); White Craddle Inn / 1947 (Madeleine Carroll, Michael Rennie, Ian Hunter). O estúdio passou por outra mudança de propriedade quando, em 1946-47, Alexander Korda, adquiriu o controle acionário da British Lion, que também operava o Shepperton Studios. E assim, Shepperton Studios e Worton Hall tornaram-se inexoravelmente ligados. Por exemplo, algumas cenas de O Ídolo Caído / The Fallen Idol / 1948 (Michèle Morgan, Ralph Richardson), filmado principalmente em Shepperton, foram rodadas em Worton Hall. Outras produções que não puderam ser completadas em Shepperton acabaram sendo efetivadas em Worton Hall: The Last Days of Dolwyn / 1949 (Richard Burton estreando nas telas, Emlyn Williams); The Small Back Room / 1949 (David Farrar, Jack Hawkins). No período 1949-1950 houve grande atividade nos estúdios, destacando-se: Segredo de Estado / State Secret / 1950 (Douglas Fairbanks Jnr., Jack Hawkins, Glynis Johns, Herbert Lom) e algumas cenas de Uma Aventura na África / The African Queen / 1951 (Humphrey Bogart, Katherine Hepburn). Entretanto, a vida do Worton Hall Studios em Isleworth estava prestes a ter um fim abrupto.

Anna Neagle e Michael Wilding em Picadilly Incident

Anna Neagle e Michael Wilding em Picadilly Incident

Douglas Faibanks Jr. , Glynnis Johns e Herbert Lom em Segredo de Estado

Douglas Faibanks Jr. , Glynnis Johns e Herbert Lom em Segredo de Estado

Katharine Hepburn e Humphrey Bogart em Uma Aventura na África

Katharine Hepburn e Humphrey Bogart em Uma Aventura na África

Nos anos quarenta, a British Lion Film Corporation de Alexander Korda, dona de ambos os estúdios de Shepperton e Worton Hall, recebeu um empréstimo massivo da National Film Finance Corporation. Quando chegou a data do empréstimo ser pago em outubro de 1951, foi anunciado que “nenhum pagamento poderia ser feito sem a redução da produção”. Parte da redução significou a venda do Worton Hall Studios para a empresa estatal National Coal Board em maio de 1952.

ISLINGTON

Gainsborough Studios 1945

Gainsborough Studios 1945

Em 1919, a Famous Players-Lasky Company of America fundou a Famous Players-Lasky British Producers Limited, quando adquiriu uma antiga usina geradora ferroviária em Islington e a converteu em um estúdio com dois palcos de filmagem, oficinas e escritórios. Entre as primeiras produções constavam The Great Day / 1920 e O Imã da Juventude / The Call of Youth / 1921, (ambos com Marjorie Hume), Três Fantasmas Vivos / Three Live Ghosts / 1922 e O Compatriota / The Man from Home / 1922 (ambos com Anna Q. Nillson); Paixões da Bela Espanha / Spanish Jade / 1922 (Evelyn Brent). Todavia, em 1924, Jesse L. Lasky resolveu se retirar dos seus investimentos britânicos e o estúdio foi vendido para Michael Balcon e seus sócios, Victor Saville e o financiador John Freedman. Para a sua primeira produção em Islington, Mulher Contra Mulher / Woman to Woman / 1923, realizada com a ajuda monetária do distribuidor C. M. (Charles Moss) Woolf, eles convidaram a estrela do cinema americano Betty Compson, colocando-a ao lado de Clive Brook e confiaram a direção a Graham Cutts, um dos principais diretores ingleses nos anos vinte. Alfred Hitchcock (que havia iniciado sua carreira como desenhista de letreiros) foi o assistente de direção, roteirista e cenógrafo e Alma Reville, sua futura esposa, a montadora e script girl. O filme fez grande sucesso, porém o próximo espetáculo, The White Shadow / 1924, foi decepcionante comercialmente, e C. M. Woolf não quis mais investir na companhia.

Pôster de Mulher contraMulher

Em 1924, Michael Balcon fundou uma nova firma, Gainsborough Pictures, nome e logo que se tornariam famosos na indústria cinematográfica britânica. Com a criação dessa companhia a reputação de Balcon como produtor estava firmada assim como a de Reginald Baker, seu contador, com o qual Bacon teve uma longo relacionamento profissional. Os primeiros filmes da companhia foram A Porta Fechada / The Passionate Adventure (Clive Brook, Alice Joyce, Lillian Hall-Davis, Victor MacLaglen) e The Rat / 1925 (Mae Marsh, Ivor Novello), ambos dirigidos por Graham Cutts; três filmes de Hitchcock: Estrangulador de Louras / The Lodger / 1926 (Ivor Novello, June), Dowhnhill / 1927 (Ivor Novello, Isabel Jean),  Easy Virtue /1928 ( Robin Irvine, Isabel Jean); Incertezas da Sorte / The Constant Nymph / 1928 (Ivor Novello, Mabel Poulton).

Ivor Novello em O Estrangulador de Louras

Ivor Novello em O Estrangulador de Louras

Cena de Downhill

Cena de Downhill

Cena de Easy Virtue

Cena de Easy Virtue

Em 1928, a Gainsborough foi absorvida pela Gaumont-British Picture Corporation, conglomerado que possuía o Lime Grove Studios em Shepherd’s Bush e negócios no campo da distribuição e exibição. Entre 1928 e 1932, enquanto o estúdio em Shepherd’s Bush estava sendo preparado para o cinema falado, o estúdio da Gainsborough em Islington serviu como um ramal de produção para a Gaumont-British. No mesmo ano, o sistema de som da RCA Photophone foi instalado em Islington e, em 1931, Balcon estava dividindo suas responsabilidades entre os dois estúdios. Entre os filmes dos anos trinta, salientavam-se: algumas comédias com a dupla Jack Hulbert-Cicely Courtneidge; Friday the Thirteenth / 1933 (Jessie Matthews, Sonnie Hale); Rainha por Nove Dias / Tudor Rose  ou Nine Days a Queen / 1936 (Cedric Hardwicke, Nova Pilbeam); O Homem Que Mudou de Alma / The Man Who Changed His Mind /1936 (Boris Karloff, Anna Lee, John Loder, Cecil Parker).

Jack Hulbert e Cicely Courtneidge

Jack Hulbert e Cicely Courtneidge

Pôster de Tudor Rose

Boris Karloff em O Homem que mudou de Alma

Boris Karloff em O Homem que mudou de Alma

Em dezembro de 1936, provavelmente prevendo um desastre financeiro iminente para a Gaumont-British, Michael Balcon deixou a companhia, contratado pela MGM por um salário muito alto. Após a saída de Balcon, os estúdio foi reorganizado pelo seu ex-assistente, Edward Black, que se revelaria como um produtor de sucesso. No final de 1937, o balanço da Gaumont-British registrou perdas gigantescas com o seu estúdio subsidiário da Gainsborough em Islington. C. M. Woolf e J. Arthur Rank apresentaram um pacote de salvamento que estipulava que o Gaumont-British Studios em Shepherd’s Bush seria fechado e toda as produções transferidas para o Pinewood Studios enquanto Maurice Ostrer teria permissão para fazer alguns filmes no estúdio da Gainsborough em Islington.

Pôster de Garotas Apimentadas

Will Hay em Oh, Mr.Porter!

Will Hay em Oh, Mr.Porter!

Em 1938, o Islington Studios recebeu um empréstimo da 20thCentury-Fox, que decidira realizar filmes ali até a irrupção da Segunda Guerra Mundial. Duas dessas produções foram Garotas Apimentadas / A Girl Must Live / 1939 (Margaret Lockwood, Lili Palmer, e o veterano astro do music-hall Sir George Robey) e Bem Amada Impostora / Shipyard Sally / 1939 (Gracie Fields dirigida pelo italiano Monty Banks, com o qual depois ela se casaria e partiria para Hollywood, onde fez quatro filmes). Entre outras produções feitas em Islington: Oh, Mr. Porter / 1937 e Good-Morning Boys / 1937 (ambas com Will Hay, comediante também oriundo do music hall, muito apreciado na Grã Bretanha nos anos trinta); Hollywood às Avessas / O-Kay For Sound / 1937 (Flanagan e Allen, Nervo e Knox, Naughton e Gold, que formavam o The Crazy Gang (Os Seis Malucos); A Mulher Oculta / The Lady Vanishes / 1938 (Michael Redgrave, Margaret Lockwood, Dame May Whitty); Bank Holiday (Margaret Lockwood, Hugh Williams, John Lodge) .

Pôster de Bem Amada Impostora

Dame May Whitty, Michael Redgrave e Margaret Lockwood em A Dama oculta

Dame May Whitty, Michael Redgrave e Margaret Lockwood em A Dama oculta

O Islington Studios permaneceu fechado durante a maior parte da guerra, ali ocorrendo apenas filmes de treinamento para as Forças Armadas; a utilização do tanque do estúdio para O Jovem Mr. Pitt / Young Mr. Pitt / 1942 (Robert Donat, Robert Morley, Phyllis Thaxter); e a filmagem parcial de Dear Octopus / 1943 (Michael Wilding, Celia Johnson, Roland Culver) e Amor nas Sombras / Fanny by Gaslight / 1944 (James Mason, Phyllis Calvert, Stewart Granger).

Pôster de O Jovem Mr. Pitt

Cartaz de Her Come the Huggetts

Islington foi reaberto após o término das hostilidades pela J. Arthur Rank Organization, que havia adquirido o controle completo do estúdio. Em 1947, Sydney Box  (contando com a colaboração de sua esposa Muriel e de sua irmã Betty) assumiu o cargo de chefe da produção da Gaumont-British / Gainsborough Studios em Shepherd’s Bush e Islington. Betty, foi roteirista do  popular Here Come The Huggetts / 1948 (Jack Warner, Kathleen Harrison), e durante muitos anos fez filmes de diversos gêneros em associação  com o diretor Ralph Thomas. Lamentavelmente, diante do colapso do Império Cinematográfico de Rank no final dos anos quarenta, a Organização Rank, a fim de assegurar a sobrevivência de seu carro-chefe, Pinewood Studios, teve que vender, em 1949, os estúdios de Islington e Shepherd’s Bush e, com o fim deles, foi-se também, por um certo período de tempo, a famosa marca Gainsborough, inspirada no retrato de Mrs. Siddons com o seu charmoso chapéu de aba larga, pintado por Thomas Gainsborough.

Sydney, Betty e Muriel Box

Sydney, Betty e Muriel Box

A marca da Gainsborough

A marca da Gainsborough

PINEWOOD

Nascido em 1888 no seio de uma família milionária dona de moinhos de trigo, J. (Joseph) Arthur Rank tornar-se-ia uma figura poderosa do cinema britânico. Homem astuto para negócios (e Metodista devoto), ele ingressou na indústria cinematográfica britânica em 1934, fundando com o produtor John Corfield e Lady Yule, a British National Films, objetivando a realização de filmes com tema religioso ou forte conteúdo moral. Em colaboração com o dono de uma firma construtora, Sir Charles Boot, e sua parceira na British National, Lady Yule, Rank adquiriu Heatherden Hall, propriedade rural magnifica perto de Iver Heath em Buckinghamshire, onde, em 1936, foi construido o Pinewood Studio. No mesmo ano, a diretoria do novo estúdio foi reforçada com a adesão de Herbert Wilcox, cujo British and Dominons Studios em Elstree havia sido destruído por um incêndio. Com a indenização paga pelo seguro, a British and Dominions tornou-se dona de 50% de Pinewood. Em 1937, Rank comprou a participação de Lady Yule no estúdio, tornando-se o seu presidente e, ao mesmo tempo, vendeu para a referida dama a sua participação na British National Films.

J. Arthur Rank

J. Arthur Rank

A marca da Organização RankEx-banqueiro aristocrático, que usava monóculo e havia adquirido certa notoriedade na sua juventude pelo excesso de dívidas bem como pela sua dextreza financeira, Richard Norton chegou em Pinewood depois de ter trabalhado na United Artists e na British and Dominions. Assumindo o cargo de diretor administrativo, encontrou imediatamente uma solução engenhosa para manter o estúdio bastante ocupado Ele abriu uma subsidiária, Pinebrook, para fazer filmes de orçamento barato, quando precisasse preencher sua programação. Por exemplo, Repórter Número 1 / This Man is News / 1938 (Barry K. Barnes, Valerie Hobson, Alastair Sim), filmado com 14 mil libras rendeu dez vezes mais na bilheteria. Hoje em dia é comum dar aos atores e atrizes uma percentagem no lucro, mas Norton foi o primeiro a usar este esquema. Com a “Fórmula Norton” (como ficou conhecida), Pinewood nunca perdeu dinheiro. O primeiro filme terminado neste estúdio, apesar de ter sido iniciado no British and Dominions destruído, foi Orquídea Selvagem / London Melody / 1937 (Anna Neagle, Tullio Carminati, Robert Douglas) enquanto que o primeiro filme feito inteiramente no mesmo local foi Talk of the Devil / 1936 (Ricardo Cortez, Sally Eilers). Entretanto, mesmo o início mais otimista não poderia estancar o colapso da indústria de 1937-38, que afetou todos os estúdios britânicos, e Pinewood foi fechado em 1938 por um certo período de tempo.

Leslie Howard e Wendy Hiller em Pigmalião

Leslie Howard e Wendy Hiller em Pigmalião

Cena de O Mikado

Porém J. Arthur Rank, não ficou parado. No final de 1938, ele comprou de Alexander Korda, o Denham Studios financeiramente debilitado e, em 1939, adquiriu o Amalgamated Studios em Elstree. Assim, em 1939, Rank era dono de três dos maiores estúdios da Grã Bretanha, embora dois estivessem fechados e um estivesse lutando pela sobrevivência, feito extraordinário tendo em vista a situação da indústria e do clima político europeu naquela época. Antes da produção se transferir para Denham no limiar da Segunda Guerra Mundial, o Pinewood Studios havia completado 47 filmes entre os quais Gangway / 1937 e Navegando em Ritmo / Sailing Along / 1938 (ambos com Jessie Matthews); Young and Innocent / 1937 (Nova Pilbeam); Pigmalião / Pygmalion / 1938 (Leslie Howard, Wendy Hiller), produzido pelo húngaro Gabriel Pascal, que convenceu Bernard Shaw a lhe ceder o direito de filmar algumas de suas obras; O Mikado / The Mikado / 1939 (Kenny Baker, Martyn Greeen), primeiro filme em Technicolor realizado em Pinewood. Quando foi declarada a guerra, o governo britânico requisitou vários estúdios para servirem como base militar ou como depósitos camuflados para armazenar suprimentos de emergência e equipamentos. Durante seis anos, Pinewood serviu variadamente como escritório do Lloyds de Londres; base para a Royal Air Force e a Crown Film Unit; e como um posto remoto da Casa da Moeda Real, o que levou os estúdios rivais a comentarem que foi a primeira vez que Pinewood estava ganhando dinheiro.

Pôster de Navegando em Ritmo

John Howard Davies e Robert Newton em Oliver Twist

John Howard Davies e Robert Newton em Oliver Twist

David Lean

David Lean

Martita Hunt e Jean Simmons em Grandes esperanças

Martita Hunt e Jean Simmons em Grandes esperanças

Em 1942, J. Arthur Rank havia ganho o controle de ambos os grandes circuitos exibidores Odeon e Gaumont-British, totalizando 619 cinemas enquanto que a organização rival ABPC possuía 442. Durante o restante dos anos quarenta, foram feitos em Pinewood, entre outros, Grandes Esperanças / Great Expectations / 1946 (John Mills, Valerie Hobson, Jean Simmons) e Oliver Twist / Oliver Twist / 1948 (Alec Guiness, Robert Newton, John Howard Davies), ambos dirigidos por David Lean); Verde Passional / Green for Danger / 1946 (Sally Grey, Trevor Howard, Alastair Sim, Leo Genn); Os Sapatinhos Vermelhos / The Red Shoes / 1948 (Moira Shearer, Leonide Massine, Anton Walbrook), de Michael Powell e Emeric Pressburger; As Oito Vítimas / Kind Hearts and Coronets / 1949 (Dennis Price, Alec Guiness, Valerie Hobson, Joan Greenwood), parcialmente filmado em Pinewood, porque o estúdio da Ealing estava superlotado na época. Em setembro de 1942 a Organização Rank formou um consórcio, Independent Producers (sob a direção de George Archibald, que havia ocupado vários postos de executivo na indústria cinematográfica britânica), com o objetivo de oferecer às companhias independentes boas condições de trabalho. As unidades de produção que operavam sob a proteção da Independent Producers eram: a Cineguild (fundada por David Lean, Ronald Neame e Anthony Havelock-Allan; a Individual Pictures (Frank Launder e Sidney Gilliat); Wessex Films (Ian Dalrymple); Aquila (Donald e Frederick Wilson).

Michael Powell e Emeric Pressburger

Michael Powell e Emeric Pressburger

Cena de Os Sapatinhos Vermelhos

Cena de Os Sapatinhos Vermelhos

Rank acreditava apaixonadamente nos filmes britânicos e esperava assentar uma indústria pós-guerra, que pudesse competir com a indústria americana. Ele investiu em filmes Nosso Barco, Nossa Alma / In Which We Serve / 1942 (Noel Coward, John Mills, Bernard Miles), um dos filmes de guerra ingleses de maior sucesso na América, produzido por Filippo Del Giudice (fundador, com Mario Zampi, da Two Cities e principal produtor da Rank por oito anos) e Henrique V / Henry V / 1944 (Laurence Olivier, Robert Newton, Leslie Banks), que recebeu quatro indicações para o Prêmio da Academia, tendo sido conferido um Oscar Honorário para Laurence Olivier. Nos meados dos anos quarenta, Rank controlava também os estúdios em Islington e em Shepherd’s Bush, e havia adquirido 50% da Ealing Films. Três dos seus principais rivais haviam saído de cena. John Maxwell havia morrido em 1940; Oscar Deutsch do circuito Odeon falecera em 1941; e Isidore Ostrer, presidente do Conselho de Administração da Gaumont-British, afastara-se da indústria em 1941.

Em 1947, a Grã Bretanha passou por uma crise severa na balança de pagamentos. Cerca de 18 milhões de libras estavam saindo do país para os cofres de produtores americanos que exibiam seus filmes nos cinemas britânicos e a indústria ficou horrorizada com a imposição por parte do governo de uma taxa de 75% sobre a renda dos filmes americanos exibidos nos cinemas do Reino Unido. Naturalmente, a América retaliou, proibindo a exibição de filmes britânicos nos Estados Unidos. Em 1949, Rank tinha uma dívida de 16 milhões de libras e, no ano seguinte, o então diretor administrativo da Rank, John Davis, foi obrigado a cortar orçamentos, despedir empregados e reduzir os salários dos executivos remanescentes. O império Rank parecia estar se deteriorando, quando os estúdios de Islington e Shepherd’s Bush foram fechados, e parte do estúdio de Denham arrendado. Toda a produção estava agora concentrada no Pinewood Studios e produtores e companhias independentes foram estimuladas para fazer filmes neles. Com a coroação de Elizabeth II televisionada em 1953 e o incremento da televisão independente em 1955, o número de aparelhos de TV domésticos cresceu drasticamente, afetando a frequência aos cinemas e, em seguida, a produção cinematográfica britânica.

Michael Redgrave,J ean Kent e Nigel Patrick em Nunca te Amei

Michael Redgrave,Jean Kent e Nigel Patrick em Nunca te Amei

P6oster de A Importância de ser Ernesto

Kenneth Moore e Kay Kendall em Genevieve

Kenneth Moore e Kay Kendall em Genevieve

Dirk Bogarde em Rivais na Conquista

Dirk Bogarde em Rivais na Conquista

Norman Wisdom e Margareth Rutherford em Norman, o Recruta Biruta

Norman Wisdom e Margareth Rutherford em Norman, o Recruta Biruta

Pôster de Carry on SergeantEntretanto, a eficiência de John Davis rendeu dividendos e vários filmes de qualidade emergiram do Pinewood Studios na década de cinquenta: Nunca te Amei / The Browning Version / 1951 (Michael Redgrave, Jean Kent, Nigel Patrick); A Importância de Ser Ernesto / The Importance of Being Earnest / 1952 (Michael Redgrave, Joan Greenwood, Edith Evans); Genevieve / Genevieve / 1953 (Dinah Sheridan, Kay Kendall, John Gregson); Rivais na Conquista / Doctor in the House / 1954 (Dick Bogarde Kenneth More, Donald Sinden, Donald Houston, Kay Kendall e James Robertson Justice como o cirurgião irascível Sir Lancelot Spratt), primeiro filme da série de grande sucesso (houve seis continuações); a série Carry On, iniciada em 1958 com Carry on Sergeant (William Hartnell); filmes do cômico Norman Wisdom (vg. Norman, o Recruta Biruta / Trouble in Store /1953); dois filmes com Gregory Peck, Loucuras de um Milionário / The Million Pound Note /1954 e Terra Ensanguentada / The Purple Plain / 1954; Os Raptores / The Kidnappers / 1953 (Duncan Mcrae, Adrienne Corri); Mulheres Fugitivas / A Town Like Alice / 1956 (Virginia McKenna, Peter Finch); O Céu a Seu Alcance / Reach for the Sky / 1956 (Kenneth More, Muriel Pavlow); O Príncipe Encantado / The Prince and the Showgirl / 1957 (Laurence Olivier, Marilyn Monroe); Amanhã Sorrirei Outra Vez / Carve Her Name With Pride / 1948 (Virginia McKenna, Paul Scofield, Jack Warner); Os Sete Cavalheiros do Diabo / The League of Gentlemen / 1960 (Jack Hawkins, Nigel Patrick, Roger Livesey, Richard Attenborough, Bryan Forbes, Kieron Moore). Em 1960, quase que a superprodução Cleopatra / Cleopatra foi filmada em Pinewood; cenários grandiosos retratando Roma e o Egito antigos chegaram a ser construídos na área externa do estúdio porém depois que Elizabeth Taylor teve que ser levada para um hospital, a fim de ser submetida a uma traqueotomia, e depois ficou em convalescença por um longo período, a produção foi transferida para a Itália.

Gregory Peck na porta de Pinewood

Pôster de Amanhã Sorrirei Outra Vez

Laurence Olivier e Marilyn Monroe em O Príncipe Encantado

Laurence Olivier e Marilyn Monroe em O Príncipe Encantado

Pôster de Carve Her Name With Pride

Pôster de O Céu a seu Alcance

Cena de Os Sete Cavalheiros do Diabo

Cena de Os Sete Cavalheiros do Diabo

Todavia, nos anos sessenta, foram feitos 160 filmes em Pinewood entre eles os da série James Bond 007 com Sean Connery, e o estúdio começou a produzir também para a televisão. Nos anos setenta foram feitos mais 125 filmes. Lord Rank faleceu em 1972, ano em que “deixou o gongo” (obs. um homem tocando um gongo enorme era a marca da Rank nas telas). Sir John Davis (nomeado cavaleiro em 1971), levou o estúdio adiante, diversificando seus investimentos (aparelhos de TV, equipamento científico, hotéis, boliches e salões de baile, xerografia), aposentou-se como presidente da Organização Rank em 1983, e morreu em 1993. Em 2000, o grupo Rank foi vendido para um consórcio liderado por Michael Grade, ex-Diretor Executivo do Channel 4.

2 Responses to “ESTÚDIOS BRITÂNICOS II”

  1. Caro Professor A.C.Gomes de Mattos

    Sou carioca e moro na Vila da Penha. Já lhe escrevi antes através desse espaço, mas talvez o senhor não se lembre. Escrevo constantemente sobre cinema e gostaria de enviar-lhe um texto meu para sua apreciação e avaliação, acaso o senhor tenha tempo disponível para tal. Ficaria honrado em contar com sua opinião, e gostaria de saber como eu poderia enviar-lhe. Estou deixando meu e-mail aqui registrado. Atenciosamente.
    Adilson de Carvalho Santos

  2. Estou respondendo para o seu e-mail

Leave a Reply