PRIMEIROS ESTÚDIOS AMERICANOS

July 4, 2011

Em dezembro de 1908, depois da chamada Guerra das Patentes, envolvendo centenas de processos judiciais, os representantes das nove companhias principais que atuavam na indústria cinematográfica americana – Edison, Biograph, Vitagraph, Essanay, Kalem, Selig, Lubin, as firmas francesas Pathé e Méliès, e a Kleine Optical de George Kleine, um importador de filmes, assinaram um acordo de paz.

Sob a liderança conjunta de Edison-Biograph, as companhias  se associaram em um consórcio intitulado Motion Picture Patents Company – MPPC e fizeram um pool de 16 patentes pertencentes a todos os produtores, que cobriam filmes, câmeras e projetores, estabelecendo o pagamento de royalties em troca de licenças para o uso destas patentes. Apesar desta primeira tentativa de concentração, os produtores e distribuidores independentes continuaram seus negócios, facilitados pela procura crescente de filmes.

Tomei a liberdade de chamar de Primeiros Estúdios Americanos as companhias americanas pertencentes ao MPPC e as companhias independentes, que emergiram naquele período de crescimento da indústria do cinema nos Estados Unidos, relacionando, de forma sucinta, as mais importantes. Minha pesquisa apoiou-se, principalmente em duas magníficas publicações (The New Historical Dictionary of the American Film Industry  de Anthony Slide (Scarecrow Press, 1998) e  History of the American Film, volumes 1 e 2, escritos respectivamente por Charles Musser e Eileen Bowser (University of California, 1994).

AMERICAN FILM MANUFACTURING COMPANY – Foi fundada em 1910 por John R. Freuler, Charles J. Hite, Samuel Hutchinson e Harry E. Aitken, para produzir filmes para as suas respectivas distribuidoras. Sediada em Chicago, a American conseguiu atrair artistas da Essanay Manufacturing Company, tais como os atores J. M. Kerrigan e Dot Farley, o roteirista Allan Dwan e os diretores Thomas Ricketts, Sam Morris e Frank Beal. Conhecida também pelo apelido de “Flying A”, por causa do seu símbolo, a American criou três companhias para realizar comédias, dramas e westerns. Em 1911, Frank Beal levou uma companhia para a Costa Oeste. Dwan substituiu-o como diretor quando a equipe se fixou em San Juan Capistrano, depois em La Mesa e, finalmente, em Santa Barbara. Em janeiro de 1914, a American começou a produzir a marca “Beauty” de comédias semanais e em 1915 realizou seu primeiro seriado, O Diamante do Céu / The Diamond from the Sky com Lottie Pickford, dirigido por Jacques Jaccard e William Desmond Taylor. No ano seguinte, a American adicionou mais marcas ao seu repertório, incluindo as comédias “Vogue”, os westerns “Mustang” e os dramas “Clipper”, estrelados por Harold Lockwood e May Allison. Em 1917, com seus astros Mary Miles Minter, William Russell e Margarita Fisher, tornou-se a principal fornecedora de filmes para a distribuídora Mutual.  O número de suas produções foi decrescendo, até que Fisher saiu da companhia em 1921, e ela acabou. Outros diretores dignos de nota da American foram Lloyd Ingraham, Henry King , Frank Borzage e Edward Sloman.

BIOGRAPH COMPANY – A mais conhecida das primeiras companhias produtoras americanas pelo fato de ter sido o estúdio onde D.W. Griffith começou a sua carreira diretorial (com Adventures of Dollie em 1908) e onde ele permaneceu até 1913. Na Biograph, Griffith formou uma equipe de atores que incluía: Mary Pickford, Blanche Sweet, Lillian and Dorothy Gish, Mae Marsh, Henry B. Walthalll e Robert Harron. A Biograph Company foi fundada em 1895 por Henry Norton Marvin como American Mutoscope Company. Seu objetivo inicial era fabricar uma máquina para competir com o Cinetoscópio, o Mutoscópio, juntamente com uma série de cartões com  imagens fotográficas em vez de tiras, para serem usados nela. Mais tarde, com o auxílio do ex-colaborador de Edison, W. K. L. Dickson, a companhia fabricou uma projetor que não infringia as patentes do “Mago da Luz” e apresentou seu primeiro programa em 12 de outubro de 1896 no Hammerstein’s  Olympia Music Hall em Nova York. Nesta época, a companhia passou a se chamar American Mutoscope and Biograph Company e depois abreviou sua denominação para Biograph Company. Em 1908, juntamente com a Edison, a Biograph ajudou a organizar o consórcio, Motion Pictures Patents Company e a distribuir seus filmes através da distribuidora do truste, General Film Company. O estúdio mais conhecido da Biograph situava-se na 11 East 14th Street em Nova York, onde a companhia produziu a maior parte de seus filmes entre 1908 e 1912.

Quando Griffith deixou a Biograph em 1913, basicamente contrariado pela recusa da companhia em permitir que ele fizesse filmes de longa-metragem, sem mencionar sua atitude de não dar publicidade ao seu nome como diretor nem aos nomes dos seus intérpretes, a Biograph perdeu sua importância. Ela permaneceu ativa até 1917, produzindo novos filmes por um curto período mas praticamente reprisando as velhas produções de Griffith.

CENTAUR FILM COMPANY / NESTOR FILM COMPANY – Fundada em 1908 por David Horsley, a Centaur Film Company localizou-se em Bayonne, New Jersey. Ela lançou seu primeiro filme  em 19 de setembro de 1908 mas como isto ocorreu algumas semanas depois da Kalem Company ter feito a mesma coisa, esta, e não a Centaur, foi selecionada para ser membro da Motion Picture Patents Company, enquanto a Centaur teve a distinção de se tornar a primeira companhia independente. A Centaur deixou de existir em 1910, quando a nova companhia de Horsley, a Nestor Film Company, foi formada com seu irmão William. Uma série baseada na história em quadrinhos “Mutt e Jeff” foi uma de  suas primeiras produções. Entre os atores da Nestor estavam: Violet e Claire Mersereau, Dorothy Davenport, Alice Davenport, e o cowboy Art Acord. Em outubro de 1911, a Nestor tornou-se a primeira companhia a se instalar em Hollywood, quando alugou um prédio no Sunset Boulevard e Gower Street. Em 1912, a maioria dos filmes da Nestor estavam sendo produzidos em Los Angeles e ela foi a primeira produtora a trazer três unidades de produção para a California: Thomas Ricketts dirigia os dramas; Milton Fahrney os westerns; e Al Christie as comédias. Quando a Universal foi organizada, a Nestor passou a distribuir seus filmes através desta companhia. Por causa de uma disputa pelo controle da Nestor com a Universal, da qual Horsley possuía ações, Horsley voltou para Bayonne em 1913 e ergueu ali um novo estúdio, onde reiniciou as produções da Centaur, especializando-se em comédias curtas sob a marca “Ace”.

EDISON MANUFACTURING COMPANY – Também conhecida como Thomas A. Edison, Inc., teve sua origem nos primitivos filmes para o Cinetoscópio, realizados no Black Maria Studio, em West Orange, New Jersey em 1893. A primeira apresentação pública do chamado Vitascópio de Edison, projetor construído por Thomas Armat e C. Francis Jenkins, teve lugar no Koster and Bial’s Music Hall em Nova York em 23 de abril de 1896. Embora o próprio Edison não tivesse muito interesse na produção de filmes, sua companhia floresceu e, em 1908 a Edison Company ergueu um estúdio na Decatur Avenue no Bronx em Nova York. O novo estúdio substituiu o estúdio provisório na  41 East 21st Street, onde Edwin S. Porter havia produzido e dirigido alguns dos primeiros filmes narrativos, entre os quais O Roubo do Grande Trem / The Great Train Robbery de 1903. Entre os artistas que trabalhavam na Edison estavam Viola Dana, Mary Fuller, Charles Ogle, Mabel Trunnelle, Marc McDermott, Gertrude McCoy, Bessie Learn e Herbert Prior. Mary Fuller estrelou o primeiro seriado da companhia, What Happened to Mary? / 1912. Como membro mais importante da Motion Picture Patents Company, a Edison Company gozou de considerável sucesso de 1908 a 1912 mas quando o poder do consórcio se dissipou, a companhia perdeu sua importância. A derradeira produção da Edison foi The Unbeliever, dirigido por Alan Crosland em 1918.

ESSANAY FILM MANUFACTURING COMPANY – Fundada em 1907, em Chicago, por George K. Spoor e Gilbert M. Anderson. Anderson (Max Aronson) era um artista do vaudeville que, após aparecer como um ladrão de trem em O Grande Roubo do Trem da Edison, continuou atuando em filmes. Spoor era dono do Kinodrome Circuit, que exibia filmes nos teatros de vaudeville Orpheum da Costa Oeste. Em 1909, Anderson, seu cameraman Jesse J. Robbins e um grupo de atores fixaram-se em Niles, Califórnia onde produziram uma série de westerns de Broncho Billy, estrelada por Anderson. A Essanay integrava o consórcio Motion Picture Patents Company e seus filmes eram distribuídos pela General Film Company. Em 1915, ela se uniu à Vitagraph, à Lubin e à Selig, formando a V-L-S-E, para distribuir seus filmes principais. Em 1911, Francis X. Bushman iniciou sua carreira cinematográfica na Essanay. Em 1913, William F. “Buffalo Bill” Cody assinou contrato com a Essanay, para aparecer em filmes descrevendo os seus dias de pioneiro do Oeste. Em 1915, a Essanay trouxe Charles Chaplin da Keystone mas Spoor não conseguiu impedir que o comediante fosse para a Mutual após o fim do seu contrato em 1916. Pouco depois, Spoor adquiriu a parte de Anderson na empresa e, embora tivesse contratado Max Linder como reforço em 1917, a companhia entrou em declínio, extinguindo-se em 1918. Outros astros (ou astros do futuro) que participaram do elenco da Essanay foram: Beverly Bane, Ben Turpin, Wallace Beery, Thomas Meighan, Gloria Swanson, Bebe Daniels, Tom Mix, Ann Little, Helen Dunbar, Harold Lloyd, Rod La Rocque.

FIRST NATIONAL PICTURES, INC. – Foi criada em 1917 como um circuito de exibidores independentes sob a denominação inicial de First National Exhibitors Circuit, Inc. Thomas L. Tally e J. D. Williams foram os dois homens responsáveis pela sua formação, aos quais se juntaram 25 outros exibidores fundadores. Por causa dos problemas envolvendo a obtenção de filmes dos produtores, o alto custo do aluguel, a venda por pacote e a qualidade inferior de algumas cópias, esses exibidores decidiram se unir e conseguir os filmes diretamente dos astros e diretores. A maior façanha da First National foi a assinatura de um contrato com Charles Chaplin, não somente oferecendo-lhe mais dinheiro do que a Mutual como também estabelecendo-o como produtor e com seu próprio estúdio em Hollywood na esquina de Sunset com La Brea. Chaplin fez seis filmes para a nova organização, entre eles, Ombro Armas / Shoulder Arms / 1918, O Garoto / The Kid / 1920 e O Emigrante / The Pilgrim / 1922. A First National atraiu também Mary Pickford da Paramount. Consta que, para evitar isso, Adolph Zukor ofereceu 250 mil dólares para Mary ficar afastada das telas por cinco anos mas ela rejeitou a proposta. A First National passou por uma reforma, adotando a denominação Associated First National Theatres Incorporated e conseguiu contratar Norma e Constance Talmadge, Marshall Neilan, Allan Dwan, Maurice Tourneur, Frank Borzage e outros.

Em 1921, a First National importou o filme alemão Madame du Barry / Madame du Barry / 1919, rebatizou-o de Passion, e o lançou com sucesso nos Estados Unidos, criando ao mesmo tempo uma carreira americana para a sua atriz Pola Negri e seu diretor Ernst Lubitsch. Em 1922, a First National resolveu criar a sua própria produtora e instalou estúdios em Burbank, California. Em 1928, a companhia foi comprada pela Warner Bros mas, como estipulado no contrato de compra e venda, os filmes da Warner Bros. foram chamados de “First National Pictures”. Os filmes da Warner Bros, e depois designados como First National Productions  até os anos 40.

FOX FILM CORPORATION – As raízes da companhia datam de 1904. Naquele ano, William Fox, um exibidor de Nova York, organizou a General Film Rental Company, para distribuir filmes, após ter sobrevivido a uma batalha legal com a General Film Company. Em 1913, William Fox decidiu entrar no ramo da produção e mudou o nome de sua companhia para Box Office Attractions Film Rental Company. O primeiro sucesso de Fox foi Escravo de uma Paixão / A Fool There Was, que fez de Theda Bara uma estrela da noite para o dia e deu novo significado à palavra “vampire”, criando toda uma geração de “vamps”. Em 1915, o nome da companhia foi mudado para Fox Film Corporation e instalado um estúdio permanente na California. Em 1919, foram abertos escritórios em Berlim, Londres e Dublin para distribuir os filmes da Fox e para ajudar na realização de jornais cinematográficos (uma vez que o Fox News havia sido lançado naquele mesmo ano). A companhia começou a se expandir durante os anos 20, para se tornar a 20th  Century-Fox, um dos grandes estúdios na Época de Ouro de Hollywood.

GEORGE KLEINE OPTICAL COMPANY – Fundada em 1907 em Chicago por George Kleine, para fabricar equipamento ótico, lentes, projetores e filmes virgens. Entretanto, Kleine ficou mais conhecido pela importação de filmes estrangeiros tais como Quo Vadis , Otello e Gli ultimi giorni di Pompei, trazidos da Itália. Em 1907,  Kleine organizou com Samuel Long e Frank Marion, a Kalem Company, Inc., que se juntou à Motion Picture Patents Company e distribuiu seus filmes pela Gerneral Film.

GOLDWYN PICTURES CORPORATION – Fundada em dezembro de 1916 por Samuel Goldfish e Archibald Selwyn (Goldwyn adotou o nome da companhia como seu em 1918). Com estúdios em Fort Lee, New Jersey, eles seguiram a política de Adolph Zukor, de utilizar grandes nomes do mundo teatral nas suas produções. Assim, foram contratados dramaturgos como Bayard Veiller, Avery Hopwood e Margaret Mayo; atrizes como Madge Kennedy, Maxime Elliott, e Jane Cowl; e cantoras de ópera como Mary Garden e Geraldine Farrar. Deste grupo, somente Geraldine Farrar e Madge Kennedy provaram a sua popularidade entre os espectadores. Uma outra personalidade do palco que iniciou uma carreira na Goldwyn foi Will Rogers. Percebendo a necessidade de ter no seu elenco personalidades do cinema já reconhecidas pelo público, Goldwyn contratou Mabel Normand e Mae Marsh porém nenhuma das duas alcançou o êxito esperado.

Igualmente decepcionante foi a Eminent Authors Pictures, Inc., organizada por Goldwyn em 1919, onde autores populares como Rex Beach, Gertrude Atherton, Gouverneur Morris, Rupert Hughes e Mary Roberts Rinehart, adaptariam suas obras para a tela. Os eminentes autores se recusavam a entender a técnica do filme e a experiência foi um fracasso embora tivesse ocasionado um filme superior, Satanás The Penalty / 1920, estrelado por Lon Chaney e baseado numa história de Gouverneur Morris. Em 1922, Goldwyn foi removido do cargo de presidente pelo voto dos acionistas. A Goldwyn Pictures Corporation se fundiu com a Metro Pictures Corporation e com a companhia produtora de Louis B. Mayer, para formar a Metro-Goldwyn-Mayer. Em 1924, Goldwyn fundou uma nova companhia, Samuel Goldwyn, Inc.

IMP (INDEPENDENT MOTION PICTURE CORPORATION) – Carl Laemmle fundou, com seu sócio num nickelodeon em Chicago, Robert Cochrane, a Laemmle Film Service, que se tornou uma das maiores distribuidoras do país. Quando a Motion Picture Patents Company começou a questionar a sua independência, Laemmle revidou, tornando-se produtor, formando, em 1909, a IMP Corporation.  O primeiro filme da companhia  foi uma versão em um rolo do poema “Hiawatha” de Longfellow, dirigida por William V. Ranous e protagonizada por Gladys Hulette. Um ano depois, Laemmle conseguiu atrair Florence Lawrence da Biograph, da qual ela era a atriz principal.

Ele institucionalizou o Star System , publicando num anúncio da Moving Picture World uma foto de Florence proclamando: “Ela é uma IMP”. Mary Pickford também trabalhou durante um curto período como atriz da IMP. Em junho de 1912, Carl Lammle fundou uma nova organização, Universal Film Manufacturing, Inc., fundindo a IMP com a Powers Picture Plays, Bison Life Motion Picture Company, Rex, Nestor e Champion.  A Universal operava dois estúdios em Los Angeles, um em Edendale e o antigo Nestor Studios no Sunset Boulvevard com Gower Street. Entre os filmes mais conhecidos desta primeira fase da Universal estavam: Traffic in Souls / 1913 e  A Filha de Netuno / Neptune’s Daughter / 1914. Em 15 de março de 1915,  a Universal City foi inaugurada no San Fernando Valley. A Universal se tornaria uma das grandes companhias do Sistema de Estúdio de Hollywood.

KALEM COMPANY, INC. – Fundada em 1907 em Nova York por George Kleine, Samuel Long e Frank J. Marion. Kleine era dono da Kleine Optical Company de Chicago; Long e Marion haviam sido respectivamente gerente de um estúdio da Biograph e promotor de vendas da mesma companhia. Sob a direção de Sidney Olcott, a Kalem realizou alguns filmes significativos como a primeira adaptação de Ben-Hur para a tela e uma versão de Dr. Jekyll and Mr. Hyde. A Kalem fazia parte da Motion Pictures Patents Company, distribuindo seus filmes pela General Film Company. Em 1910, Olcott, que tinha descendência irlandesa, levou para a Irlanda uma pequena unidade de produção, da qual faziam parte: Gene Gauntier (que além de ser a atriz principal exercia a função de roteirista), o ator Robert G. Eles Vignola e o cameraman George Hollister. A unidade se instalou em Beaufort, County Kerry e voltou lá no ano seguinte com uma equipe maior. Eles ficaram conhecidos com “os O’Kalem”. Em 1912, Olcott, Gauntier, Vignola e outros viajaram até a Palestina, para rodar Da Manjedoura à Cruz /  From the Manger to the Cross, considerado o filme mudo mais importante sobre a Vida do Cristo. Em 1914, J. P. McGowan produziu o primeiro dos 119 episódios do seriado As Façanhas de Helen / The Hazards of Helen com Helen Homes. Helen só trabalhou nos primeiros 26 episódios, sendo substituída por Elsie McLeod nos episódios 27-49, até que uma “Helen” permanente foi encontrada: Helen Gibson. Em 1917, a Kalem foi vendida para a Vitagraph.

KEYSTONE FILM COMPANY – Fundada em 1912 pelo ex-ator e diretor de comédias da Biograph, Mack Sennett, e pelos donos da New York Motion Picture Company, Adam Kessel, Jr. e Charles O. Baumann, esta companhia tinha escritórios em Nova York. Os filmes foram realizados inicialmente em Fort Lee, New Jersey. Depois, a companhia se fixou em Edendale, Califórnia. A procura pelas comédias da Keystone cresceu e logo Mabel Normand começou a dirigir uma segunda unidade de produção. Charles Chaplin fez sua estréia no cinema, em 1914, no filme da Keystone,  Carlitos Repórter / Making a Living. Antes de sair da companhia no final desse ano, Chaplin já havia criado o seu personagem do vagabundo e estava dirigindo e escrevendo seus próprios filmes. Em novembro de 1914, o filme de longa-metragem, Idílio Desfeito ou O Casamento de Carlitos ou Carlitos Casanova / Tillie’s Punctured Romance, estrelado por Mabel Normand, Marie Dressler, e Chaplin, foi exibido com grande êxito. Em 1915, a Keystone, juntamente com D.W. Griffith e Thomas H. Ince, formou a Triangle Film Corporation. Em 1917, a Keystone deixou de existir. No mesmo ano, Mack Sennett organizou a sua própria companhia e começou a produzir filmes independentes. Além dos artistas já citados, começaram suas carreiras na Keystone: Harold Lloyd, Gloria Swanson, Louise Fazenda, Raymond Griffith, Ford Sterling, Fatty Arbuckle, Ben Turoin, Harry Langdon e Chester Conklin.

LUBIN MANUFACTURING COMPANY – Siegmund Lubin, originariamente um perito em ótica e fotografia, construiu uma câmera / projetor, que batizou de “Cineograph” e,  em 1897, começou a fazer filmes para lançamento comercial no terraço de um edifício em Filadelfia. Neste mesmo ano, ele reencenou a luta pelo campeonato mundial de pesos pesados entre James Corbett e Bob Fitzsimmons, usando como “atores” dois ferroviários. Embora Lubin tivesse que cessar suas atividades de produtor por causa da ação proposta por Edison contra ele, sua companhia se juntaria mais tarde ao consórcio Motion Pictures Patents Company, distribuindo seus filmes através da General Film Company. Em 1904, Lubin refilmou O Roubo do Grande Trem de Edwin S. Porter com o título de The Bold Bank Robbery e, em 1910, construiu um estúdio bem moderno em Filadelfia, que ficou conhecido como “Lubinville”. A Lubin Manufacturing Company expandiu suas atividades de produção para Jacksonville, Los Angeles e Coronado e, em 1912, comprou terras em Betzwood no norte de Filadelfia, convertendo a propriedade num novo estúdio. Em 1915, a Lubin se uniu à Vitagraph, Selig e Essanay para formar a V-L-S-E. Alguns dos artistas que trabalharam na Lubin foram: Harry Myers, Florence Hackett, Alan Hale, Arthur Johnson, Lotte Briscoe, Florence Lawrence, Ethel Clayton, Gladys Brokwell Ormi Hawley, Billy Reeves, Rosemary Theby, Pearl White e Edwin Carewe e Frank Borzage, que começaram sua carreira como atores.

Em 19189,  o estúdio de Betzwood foi comprado por uma companhia récem-organizada, a Betzwood Film Company, da qual o genro de Lubin era o gerente geral. Devido a um incêndio que destruiu os negativos e vários de seus filmes ainda não lançados, à paralização das vendas para o exterior ao irromper a Primeira Guerra Mundial e ao fim do monopólio da Motion Picture Patents Company, a Lubin acabou pedindo falência e, em 1916, fechou as portas.

METRO PICTURES CORPORATION – A precursora da M-G-M foi fundada em 5 de março de 1915 com Richard Rowland como presidente da companhia. Ela teve origem na Alco Film Company constituída no ano anterior por Al Lichtman e W. H. Seeley, que servia de distribuidora para várias produtoras. Um ano após a sua fundação, a Metro havia se tornado uma importante produtora / distribuidora com astros como Francis X. Bushman, Mary Miles Minter e Olga Petrova sob contrato, além de atrair Mr. e Mrs. Sidney Drew da Vitagraph. Seus estúdios estavam localizados na Romaine Street em Hollywood, onde se originou uma série de filmes de alto orçamento, que a Metro chamava de “filmes de qualidade”, sob o nome de marca, Screen Classics, Inc. Apesar de produzir uma média de 60 filmes por ano, a Metro sofreu muito revezes financeiros, devido em parte pela enorme quantidade de dinheiro que ela estava disposta a pagar por direitos de adaptação de romances tais como The Four Horsemen of the Apocalypse. Em 1920, o acervo da Metro foi comprado pela Loews, Inc., o primeiro passo na transformação da companhia para Metro-Goldwyn-Mayer, um dos maiores estúdios de Hollywood na sua melhor fase.

MUTUAL FILM CORPORATION – Organizada em março de 1912 como um sistema de distribuição independente, para funcionar numa maneira semelhante à General Film Company. Harry Aitken, o presidente da Mutual e John R. Freuler, o vice-presidente, obtiveram o apoio dos financistas Crawford Livingston e Otto Kahn (da Kuhn, Loeb and Company) no empreendimento. Em 1911, Aitken havia fundado a Majestic com Thomas Cochrane como gerente geral e Mary Pickford e Owen Moore como astros. No mesmo ano, Aitken comprou a Reliance de Charles  O. Baumann. Em 1912, Adam Kessel e Baumann, formaram a Keystone Film Company com Mack Sennett para produzir filmes para a Mutual. Em outubro de 1913, a Mutual contratou D. W. Griffith como encarregado dos estúdios Reliance e Majestic. No mês seguinte, o cameraman de Griffith, Billy Bitzer, entrou para a Mutual juntamente com os diretores Edward Dillon e Christy Cabanne, o ator Courtenay Foote e o roteirista Frank Woods. Griffith logo se estabeleceu com sua companhia num estúdio na Sunset Boulevard em Hollywood. Os filmes supervisionados por Griffith eram denominados Fine-Arts Productions. No final de 1913, foi formada a Continental Feature Film Company, subsidiária da Mutual, para distribuir os filmes realizados pela Reliance.

Em janeiro de 1914, a Mutual acertou com Pancho Villa a  permissão e cooperação para a filmagem das batalhas da Guerra do México. De acordo com Terry Ramsaye (A Million and One Nights), Villa retardava o início das hostilidades, até que os cameramen da Mutual estivessem prontos para rodar, lutava durante o dia e não à noite para propiciar uma boa filmagem e se certificava de que a sua imagem estivesse sempre em destaque  no filme. Mais tarde, a Mutual usou algumas das cenas no filme de ficção Life of Villa, estrelado por Raoul Walsh. Em 1926, a Mutual contratou Charles Chaplin para produzir comédias para a companhia. A nova companhia de Chaplin, Lone Star Film Corporation, produziu 12 filmes e encerrou suas atividades em 1917, quando Chaplin foi para a First National. Em 1918, a Affiliated Distributor’s Corporation adquiriu 51% da Mutual, que estava perdendo dinheiro na ocasião em uma proporção alarmante. Pouco depois, foi constituída a Exhibitor’s Mutual Distributing Company, que era praticamente uma descendente da Mutual e da Affiliated.

NEW YORK MOTION PICTURE COMPANY – Fundada por Adam Kessel, Jr. e Charles O. Baumann. Eles se uniram ao cameraman Fred J. Balshofer para fazer seu primeiro filme, estreado em maio de 1909. Os filmes da NYMPC, conhecidos como ”Bison” Life Motion Pictures, usavam o emblema de um bisão na sua publicidade. Em 1909, a NYMPC tornou-se a distribuidora americana das companhias Itala e Ambrosio da Itália. Kessel e Baumann organizaram, com outros produtores, a Universal Film Manufacturing Company mas logo se separaram desta companhia, filiando-se à Mutual Film Corporation. No verão de 1909, a NYMPC mandou uma equipe sob a direção de Balshofer para Los Angeles, a fim de produzir filmes da “Bison” em Edendale. Faziam parte do grupo: J. Barney Sherry, Charles K. French, Jane Darrell, Evelyn Graham, William Edwards, William Gibbons, Charles Avery, Charles Inslee, James Youngdeer e Red Wing.  Em 1912, Kessel e Baumann chamaram Thomas H. Ince, para  assumir a função de diretor. Ele fez apenas alguns filmes antes de tomar posse de um rancho nas montanhas de Santa Monica, que ficou conhecido como “Inceville”. Nesta ocasião, Ince sugeriu a Kessel e Baumann que contratassem o Miller Brothers Ranch, um espetáculo do Velho Oeste itinerante muito popular. Depois que a companhia abandonou a Universal e teve que deixar as marcas Bison e Bison 101 para os filmes feitos com o Miller Brothers, ela criou novas marcas como Kay-Bee e Broncho. Em julho de 1912, Kessel e Baumann formaram a Keystone Film Company com Mack Sennett. Em 1913, a NYMPC criou uma nova marca, Domino. Em 1915, com a criação da Triangle Film Corporation e o fim do contrato da NYMPC com a Mutual, os estúdios Ince mudaram–se para Culver City. Ince formou sua própria companhia, para produzir os filmes Artcraft da Famous Players-Lasky Corporation.

PARAMOUNT PICTURES, INC. – Fundada em 1914, exclusivamente como  distribuidora, por W.W. Hodkinson. Como produtora, ela teve suas origens na Famous Players Film Company, organizada em 1 de junho de 1912 por Adolph Zukor e na Jesse L. Lasky Feature Play Company, organizada em 26 de novembro de 1913, por Lasky. A Famous Players Film Company foi responsável pela importação do filme francês, Elizabeth, Rainha da Inglaterra / La Reine Elizabeth / 1912,  com Sarah Bernhardt, o primeiro a dar respeitabilidade à indústria e um dos primeiros filmes de longa-metragem levado às telas nos Estados Unidos. A Jesse L. Lasky Feature Film Company produziu Amor que Sofre / The Squaw Man / 1914, dirigido por Cecil B. DeMille e Oscar Apfel, que foi a primeira produção de longa-metragem importante filmada em Hollywood. Como distribuidora, a Paramount cuidava não somente dos filmes da Lasky e da Famous Players como também dos filmes da Bosworth, Inc. (formada em 1913 pelo ator Hobart Bosworth) e Oliver Morosco Photoplay Company (formada em 1914 pelo produtor teatral Morosco). Em maio de 1916, 50% das ações da Paramount foi adquirida por Zukor e Lasky e, um mês depois, Hodkinson pediu demissão como presidente da companhia (para ser sucedido por Hiram Abrams). Em junho de 1916, foi incorporada a Famous Players-Lasky Corporation com Zukor como presidente mas a denominação Paramount permaneceu para fins comerciais.

Em julho de 1916, a companhia organizou a Artcraft Pictures Corporation, para lançar os filmes de Mary Pickford  porém mais tarde o nome Artcraft foi utilizado para toda grande produção da Paramount. Em maio de 1919, foi fundada a Realart Pictures Corporation, para cuidar das produções menores da Paramount.  Adolph Zukor foi o responsável pelo sucesso financeiro da companhia. Ele construiu uma cadeia de cinemas e tentou, sem êxito, dar à Paramount o monopólio da indústria cinematográfica. Jesse L. Lasky era a força criativa nos bastidores do estúdio, responsável pela contratação de astros como Mary Pickford, Rudolph Valentino, Geraldine Farrar, Wallace Reid, Pola Negri, Gloria Swanson e Thomas Meighan e diretores como Cecil B. DeMille, Maurice Tourneur e D. W. Griffith. A Paramount seria um dos grandes estúdios da Terra do Cinema nos seus melhores dias.

SELIG POLYSCOPE COMPANY – Fundada em 1896 em Chicago por William N. Selig, ex-mágico itinerante e  empresário de shows de menestréis, quando inventou uma câmera-projetor chamada Polyscope. Foi primeiramente denominada Mutoscope & Film Co. e, seis meses depois, Selig Polyscope Company. Selig realizou filmes de atualidades locais, comédias pastelão, filmes de viagem (travelogues) e industriais (um de seus clientes foi o frigorífico Armour and Company). Em 1904, Selig produziu o que ele chamou de  “realmente seu primeiro filme”, a comédia Humpty Dumpty. Ele se juntou com Edison e outras companhias para formar a Motion Picture Patents Company.  Em 1908, Selig enviou o ex-diretor de teatro Francis Boggs para a California com uma equipe que incluía: Thomas Santschi, James L. McGee, James Crosby, Harry Todd, Gene Ward e Mrs. Boggs. Eles filmaram algumas cenas de exteriores para The Count of Monte Cristo, razão pela qual a Selig costuma ser apontada como a primeira grande companhia  a rodar um filme em locação na área de Los Angeles (e depois voltar ali para abrir um estúdio em Edendale).  Em 1909, a Selig produziu, no seu estúdio em Chicago, Hunting Big Game in Africa, que recriava a recente expedição de caça do Presidente Theodor Roosevelt, obtendo um grande sucesso.

Em 1911, foi inaugurado o Selig Jungle Zoo, em Los Angeles. Este jardim zoológico acabou se tornando a maior coleção de animais selvagens do mundo. Mais tarde, foi aberto um estúdio em Glendale, onde Tom Mix dirigiu e estrelou seus western.

Em 1913, a Selig lançou o primeiro episódio daquele que foi considerado o primeiro seriado verdadeiro, As Aventuras de Catarina / The Adventures of Kathlyn, estrelado por Kathlyn Williams. Em 1915, juntamente com a Vitagraph, Lubin, e Essanay, a Selig formou a V-L-S-E. No ano seguinte, foi formado o grupo distribuidor K-E-S-E com Kleine e Edison substituindo Vitagraph e Lubin. A Selig Company cessou a produção em 1918, embora o “Colonel Selig  (como William Selig era chamado) continuasse a se envolver em várias atividades cinematográfica durante os anos 30. Entre os diretores que trabalharam para Selig podemos destacar: Colin Campbell, Tom Mix, Lawrence Marston, Thomas Santschi, George Nicholls, Lloyd Carleton, Marshall Neilan, Jack Le Saint e Frank Beal; entre os intérpretes: Kathlyn Williams, Thomas Santschi, Tom Mix, Wheeler Oakman, Charles Clary, Hobart Bosworth, Betty Harte, William V. Mong, Al Garcia, Herbert Rawlinson, Bessie Eyton, Nick Cogley, Baby Lilian Wade, Myrtle Stedman, Eugenie Besserer e Harold Lockwood.

LEWIS J. SELZNICK PRODUCXTIONS, INC – Fundada em 1916, depois que Selznick deixou seu cargo de vice-presidente e gerente geral da World Film Corporation e criou a Clara Kimball Young Film Corporation, com a ex-atriz principal da World. Selznick distribuiu filmes da Herbert Brenon Film Corporation da qual ele era metade sócio e que produzia filmes estrelados por Alla Nazimova e da Norma Talmadge Film Corporation. Em 1917, Adolph Zukor comprou secretamente 50% da companhia de Selznick. Este continuou presidindo a companhia mas ela adotou uma nova denominação, Select Pictures Corporation. Em janeiro de 1919,  o filho de Lewis, Myron, organizou a Selznick Pictures Corporation e começou a produzir filmes dirigidos por Ralph Ince e estrelados por Olive Thomas, Eugene O’Brien e Elsie James. O irmão de Myron, David era o tesoureiro. Em 10 de abril de 1919, Lewis J. Selznick comprou a outra metade da Select. Em maio de 1919, David Selznick, agora conhecido como David J. Selznick, tornou-se o gerente da Select em New England, que faliu em 1923.

THANHOUSER FILM CORPORATION – Fundada pelo empresário teatral Edwin Thanhouser em 1909 com estúdios em New Rochelle. A Thanhouser usava muitas crianças em seus filmes e entre as que ela mantinha sob contrato estavam: Helen Bagley, Marie Eline, e Marion e Madeline Fairbanks (as gêmeas da Thanhouser). Outros atores da Thanhouser eram: Florence La Badie, Mignon Anderson, Marguerite Snow, James Cruze e William Russell. Em 1912, a Thanhouser inaugurou um estúdio em Jacksonville, Florida e neste mesmo ano a companhia foi comprada por um sindicato liderado por C. J. Hite. No ano de 1913, houve a destruição dos estúdios da Thanhouser em New Rochelle num incêndio, a contratação da famosa atriz do teatro, Maude Fealy e o lançamento do primeiro seriado da companhia, O Mistério de Um Milhão de Dólares / The Million Dollar Mystery. Quando C. J. Hite foi morto em 1914 num desastre de automóvel, Edwin Thanhauser voltou como chefe do estúdio. Em 1916,  A Thanhouser realizou os filmes nos quais Jeanne Eagels fez sua estréia no cinema, The World and the Woman e Chamas da Juventude / Fires of Youth. Edwin Thanhouser aposentou-se em fevereiro de 1918 e o estúdio foi alugado por Clara Kimball Young. Em 1919, foi vendido para Crawford Livingston e Wilbert Shallemberger e, no mesmo ano, passo a ser  o local das filmagens da B.A. Rolfe Photoplays.

TRIANGLE FILM CORPORATION – Criada em 1915 por algumas figuras importantes associadas com a Mutual Film Corporation. Harry A. Aitken era o presidente, Adam Kessel, tesoureiro e os produtores D.W. Griffith, Thomas H. Ince e Mack Sennett, juntamente com Charles O. Baumann,  vice-presidentes. A companhia foi formada para produzir e distribuir filmes de múltiplos rolos realizados pelas firmas dos três produtores e alugar uma cadeia de cinemas de primeira classe nas maiores cidades dos Estados Unidos, para exibir suas produções mais elaboradas. A Triangle atraiu artistas do palco, vaudeville e comédia musical tais como Sir Herbert Beerbohm Tree, Mary Anderson de Navarro, Weber e Fields, DeWolf Hopper, William Collier, Billie Burke, Mario Doro, Elliott Dexter, Texas Guinan, Helen Ware, Jane Grey, Joe Jackson, Eddie Foy, Mary Boland e Julia Dean. Em 1916, a Triangle Distributing foi criada para administrar as produções da Fine Arts, Kay-Bee e Keystone. W.W. Hodkinson era o presidente e gerente geral. Quando Griffith, Ince e Sennnet deixaram a organização, a Triangle reteve o controle da marca da Keystone e H. O. Davis assumiu o controle da companhia. A Paralta Plays, Inc. (fundada em 1917 com Carl Anderson, Herman Katz e Robert T. Kane nos principais cargos de direção) distribuiu seus filmes pela Triangle por um curto período. Em setembro de 1917, houve um anúncio de que a Triangle estava planejando produzir filmes na India, China e Buenos Aires mas não se realizou nada de concreto. Nos meados de 1919, a Goldwyn comprou o estúdio da Triangle em Culver City.

VITAGRAPH COMPANY OF AMERICA – Foi a primeira a agrupar um elenco permanente de astros, a experimentar com êxito filmes de truques e de animação, a filmar clássicos de Shakespeare e Dickens e a usar o cinema como propaganda. Foi fundada por J. Stuart Blackton e Albert E. Smith em 1897; um terceiro sócio, o distribuidor William “Pop” Rock, aderiu à companhia na virada do século. O primeiro estúdio da Vitagraph estava localizado no terraço de um edifício na Nassau Street em Manhattan, onde foram produzidos dois filmes importantes: The Burglar on the Roof e The Battle of Manilla Bay. Em 1905, as operações da companhia foram transferidas para a área de Flatbush no Brooklyn e, pouco depois, constituiu-se um elenco de atores e diretores que incluía: Florence Turner, Maurice Costello, Paul Panzer, Lawrence Trimble (dono de Jean, o cachorro da Vitagraph), John Bunny (o mais famoso dos primeiros comediantes da tela), e Gladys Hulette (que apareceu no filme de truques de 1909, Princess Nicotine). Norma e Constance Talmadge iniciaram suas carreiras no cinema na Vitagraph assim como Anita Stewart e Corinne Griffith. Em 1913, a Vitagraph  inaugurou um estúdio em Santa Monica, California, que ficou sob a direção de Rollin Sturgeon.

Em 1915, a Vitagraph ajudou Theodore Roosevelt nos seus esforços de “prontidão” para a Primeira Guerra Mundial com a produção de The Battle Cry of Peace, o primeiro uso significativo do filme com propósito de propaganda. No mesmo ano, a Vitagraph formou com a Lubin, a Selig e a Essanay  a V-L-S-E. Em 1919, apoderou-se do que havia restado da Kalem Company. Blackton deixou a Vitagraph em 1917, para se dedicar à produção independente mas voltou ao estúdio em 1923. Nessa época, a Vitagraph havia perdido muito de sua importância graças ao crescimento da Paramount e da Metro, entre outras razões, porém ainda tinha grandes astros sob contrato como Antonio Moreno, Larry Semon, Alice Calhoun e Jean Paige e continuou a produzir filmes importantes como  Coração Imaculado / The Clean Heart / 1924 e Capitão Blood / Captain Blood / 1924. Entretanto, em 20 de abril de 1925 foi comprada pela Warner Bros. O nome da Vitagraph continuou a ser usado como marca pela Warner Bros, até os anos cinquenta.

WARNER BROS. PICTURES, INC. – A história dos quatro irmãos Warner – Harry, Albert, Sam e Jack – na indústria cinematográfica começou em 1906, quando eles adquiriram um Cinetoscópio Projetor, com o qual exibiram filmes nas cidades mineiras da Pennsylvania e Ohio. Em 1907, depois de terem aberto seu primeiro cinema, o Cascade Theater, em New Castle, os irmãos fundaram a Duquesne Amusement & Supply Company, sediada na Pennsylvania e, em poucos anos, estavam distribuindo filmes numa área que compreendia quatro Estados. Em 1918, os irmãos inauguraram o Warner Bros. Studio na Sunset Boulevard em Hollywood, California. Sam e Jack produziam os filmes enquanto Harry e Albert manipulavam as finanças e a distribuição. Neste ano, eles produziram o primeiro filme importante da companhia: My Four Years in Germany. Em 1923, os quatro  empreendedores incorporaram oficialmente a Warner Bros. Pictures, Inc.  Em 1925, a Warner comprou a Vitagraph Company  e, com a ajuda de  Rin-Tin-Tin, um cão pastor alemão, que arrebatou as platéias, tomou um impulso, que a colocaria entre os grandes estúdios da Idade de Ouro de Hollywood.

WORLD FILM CORPORATION – Fundada em fevereiro de 1914 por Emanuel  Mandelbaum com o apoio dos banqueiros W. A. Pratt e Van Horn Ely, para ser uma distribuidora de companhias independentes. Dentro de poucos meses, Mendelbaum saiu da companhia e a World se envolveu no ramo da produção, seguindo-se uma fusão com a Equitable Pictures Corporation, criada recentemente para produzir filmes para a ex-estrela da Vitagraph, Clara Kimball Young. O presidente da Equitable era Arthur Spiegel e o vice-presidente e gerente geral, Lewis J. Selznick., um vendedor de jóias agressivo com pouca experiência de cinema. Foi Selznick quem induziu o produtor teatral Lee Shubert a se tornar um grande investidor na World. Além da linha Equitable, a World administrava também o produto da Peerless, que fora fundada por Jules Brulatour., da Frohman Amusement Company de Daniel Frohman e do empresário da Broadway, William A. Brady. A maior parte dos filmes da World era produzida em Fort Lee, New Jersey no estúdio da Peerless ou no estúdio Paragon. Ali, Selznick e Brulatour, aproveitando-se do colapso das atividades francesas nos Estados Unidos, reuniram um grupo de artistas franceses do qual faziam parte os diretores Maurice Tourneur, George Archimbaud, Émile Chautard e Albert Capellani; o grande cenógrafo Ben Carré; e os cameramen René Guissart e Lucien Andriot. Selznick saiu da World em 1914 e foi substituído por William A. Brady. Entre os intérpretes que trabalharam na World estavam Clara Kimball Young, Alice Brady, Carlyle Blackwell, Maude Evans, Marie Dressler, Lillian Russell, Doris Kenyon, etc. ,

4 Responses to “PRIMEIROS ESTÚDIOS AMERICANOS”

  1. Olá, AC. Acabei te enviando um e-mail tarde demais – e sem verificar seu site. Mas seu artigo é, de longe, o mais completo disponível na internet, em português, sobre o assunto.

  2. Gentileza sua. Não tive a pretensão de esgotar o assunto, nem sei se conseguiria, pois esse início do cinema americano é um tanto complicado.

  3. Boa noite A.C. Mattos.

    Muito obrigado por montar e manter este site, que para mim é excelente. Quem me indicou o site e alguns de seus livros foi o sr. Felipe Macedo (CineClubista) que me ajudou na correção de um texto que pretendo usar com meus alunos. Nesse texto inclui trechos/citações de um de seus livros e do site também.

    Felicidades.

    Boa noite.

    Cláudio

  4. Eu é que agradeço você, Claudio, por seu interesse pelo meu site. A finalidade do blog é transmitir informações sobre o Cinema Clássico de várias cinematografias e abordar alguns assuntos pouco difundidos em nosso país. Leitores como você e o Felipe, estimulam o meu trabalho.

Leave a Reply